Faça parte da nossa comunidade e receba nossos conteúdos exclusivos!

  • Nardele Gomes

O samba, a tristeza e a beleza

Atualizado: Mai 28

Quem vive do processo criativo precisa fazer samba nos dias de tédio também



“Pra fazer um samba com beleza é preciso um bocado de tristeza.”


Vamos pensar um pouco sobre isso hoje? O que você acha desse maravilhoso verso de Vinícius de Morais?


Em primeiro lugar, rendo todas as homenagens ao poeta e declaro minha insignificância diante de sua obra! Aqui eu quero apenas pensar sobre o ofício do escritor a partir da beleza desse verso.


Eu não tenho dúvida de que emoção é inspiração para criar. Seja para compor uma música, escrever um texto, pintar um quadro. Os textos que eu mais gostei de ter escrito foram inspirados por muita emoção. Não precisa ser tristeza, naturalmente.


Essa é, inclusive, uma prática constante pra mim. Antes de sentar pra escrever um texto mais livre, sobre a maternidade por exemplo, que é um tema ao qual eu me dedico bastante, eu tiro alguns minutos pra me conectar com os sentimentos relacionados ao que eu quero dizer. Às vezes eu coloco uma música que me ajude a acessar ainda mais esse sentimento. E quando estou totalmente conectada com essa emoção, é ela que conduz o processo criativo para onde ele deve ir. E a emoção acaba tão impregnada no texto, que o transcende e inspira também algum sentimento em quem lê.



Mas e se não tiver um bocado de tristeza? Não tem samba?



Num dia você escreve um texto realmente inspirado, escrito às lágrimas, que leva seus leitores a uma experiência transcendental. Mas e no dia seguinte?


Será que dá pra viver sob extrema tristeza todos os dias só para escrever sambas com beleza? Será que um escritor só trabalha sob forte emoção? E no dia em que acorda sereno? E quando está preocupado? E quando tem TPM, quando tem barulho ao redor, quando falta grana, quando o prazo está acabando? Não trabalha?


Se o trabalho do escritor só pode ser feito em determinadas condições ideais, então não é exatamente um trabalho. Está tudo bem se você utilizar a escrita apenas pra transformar emoções em palavras. Isso é maravilhoso e a humanidade agradece! Mas se pra você escrever é um trabalho, a ausência de forte emoção (ou de uma genial inspiração) não pode ser um fantasma, nem um impeditivo para que você se sente todos os dias em frente ao seu computador, papel ou celular e escreva. A beleza do samba também pode estar na entrega do compositor.



Gostou desse artigo? Compartilhe!

RECEBA CONTEÚDOS EXCLUSIVOS E COM PRIORIDADE!

  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram